Ouvimos sobre sua atuação quase todas as noites no noticiário matinal. As histórias repugnantes de mais um inocente que levou um tiro “acidentalmente” em um caso de erro de identificação, na rivalidade entre as gangues.

…ou a criança que nunca mais vai poder andar porque foi vítima de uma bala perdida em outro tiroteio entre gangues.

…ou a história de outra pessoa inocente que perdeu a vida precocemente; a violência que testemunhamos com o estômago embrulhado, repetidamente, e que para as quais estamos nos tornando “insensíveis por pura comodidade”.

É hora de empoderar a inteligência digital na sua luta com os punhos desprotegidos contra os crimes cometidos pelas gangues.

. Baixe o estudo de caso: “Como as perícias digitais viraram o jogo em um caso de assassinato em massa”

Aumenta o número de membros das gangues, e a violência continua

Estatisticamente, as notícias são terríveis. O número de membros das gangues aumenta em todo o mundo:

  • Há registros de cerca de 10 milhões de membros de gangues em todo o mundo
  • Acredita-se que mais de 33.000 gangues (1.4 milhões de membros) existam somente nos EUA

E os crimes dessas gangues não são um problema apenas nos EUA, pois são mais de 5.000 gangues em operação na Europa, somente em 2017.

Não chega a surpreender, pois à medida que o número de membros de gangues aumenta:

  • 50% dos homicídios em Los Angeles e Chicago são agora associados a atividades de gangues
  • 75% das delegacias de polícia relatam que as gangues são o principal fator que contribui com os crimes violentos

Redes sociais – O novo spray de tinta

Os membros das gangues descobriram rapidamente como utilizar as redes sociais para suas atividades. Agora, em vez de pichar paredes em áreas públicas, os membros das gangues estão utilizando muros virtuais para pichar – ameaçando o ressurgimento das “batalhas cibernéticas” entre gangues e o aliciamento de novos recrutas convidando-os: “venham nos visitar Facebook”.

As redes sociais também se tornaram uma maneira conveniente para as gangues fecharem negócios com o tráfico de drogas online, que já supera os US$ 25 milhões em vendas mensais.

A criptografia está tornando as coisas mais complexas

As forças da lei não precisam lidar apenas com os volumes de informações cada vez maiores; os membros das gangues estão aprendendo rapidamente como bloquear seus dispositivos móveis e usar canais criptografados para ocultarem seus rastros.

Adicionem-se a isto, os problemas de rastreamento de atividades de gangues internacionalmente nas dezenas de países e redes, e o trabalho que se torna ainda mais difícil – causando estresse nos investigadores ao limite e deixando cada vez mais membros das equipes se sentindo sufocado em meio a tanta informação.

A inteligência digital simplifica a complexidade

A Cellebrite, líder mundial em tecnologia de perícias digitais, está ajudando as forças da lei em todo o mundo a combaterem o crime com software de inteligência digital que pode dar aos investigadores mais controle; ajudá-los a lidar com o grande volume, a variedade e a velocidade com que os dados relativos às gangues estão sendo intercambiados.

As ferramentas da Cellebrite oferecem funcionalidades que podem ser utilizadas para:

  1. Desbloquear dispositivos móveis.
  2. Acessar dados criptografados.
  3. Unificar grandes volumes de fontes de dados e revelar rapidamente redes de gangues.
  4. Compilar inteligência de contas de redes sociais conhecidas.
  5. Visualizar conexões e relacionamentos entre membros de gangues e mapear sua localização.
  6. Categorizar e analisar automaticamente arquivos de mídia para identificação rápida.
  7. Marcar e compartilhar suas constatações para colaborar em todas as fronteiras jurisdicionais.

    Veja o UFED Cloud Analyzer em ação:

  • Fique em dia com a sofisticação tecnológica cada vez maior do crime organizado.
  • Diligencie suas estratégias investigativas.
  • Mapeie visualmente as alianças criminosas.
  • Reúna provas irrefutáveis para ajudar os promotores a desenvolverem um caso sólido.

Isto permite às agências se concentrarem de forma mais eficaz em seus recursos em relação a redes subjacentes mais expressivas do crime, em vez de se limitarem a crimes individuais – o que, por sua vez, ajuda os agentes nas linhas de frente a criarem um mundo mais seguro.

 

Share this post