Nos dias de hoje, é comum ver sofisticados drones grandes, médios e pequenos à venda para o consumidor em geral. À medida que mais e mais pessoas passam a confiar nos drones para terem uma visão aérea de qualquer área, muitos setores comerciais também seguiram a tendência de acrescentar drones à sua linha de produtos, como multiplicadores que adicionam mais olhos a locais inacessíveis ou avantajados.

À medida que a popularidade dos drones aumenta, os criminosos, infelizmente, exploram esses dispositivos para realizar atos terríveis, desde a espionagem nas vizinhanças até a completa militarização dos dispositivos para atividades terroristas. A faixa de preços relativamente baixa dos drones, a facilidade de utilização, a capacidade de carga útil e a autonomia para longas distâncias são opções úteis para o contrabando e a vigilância.

Tornou-se um desafio para as forças da lei antecipar-se às investidas das atividades criminosas que se utilizam da drones com êxito. Enfrentar o uso de drones por criminosos representa problemas técnicos e complexos, porque muitas vezes, tudo de que os investigadores dispõem é uma única parte de um drone na cena do crime. Mesmo quando as equipes investigativas dispõem dos meios para extrair os dados, conduzir uma extração completa e adequada para perícias forenses pode ser um processo delicado.

No nosso webinar, Investigação de drones no combate ao crime, John Priest, diretor de treinamento e desenvolvimento de negócios na Cellebrite, apresenta as atividades criminosas utilizando drones e o que podemos fazer a respeito.

John participa do desenvolvimento do curso de forense para forças da lei em todo o mundo. Antes de atuar na Cellebrite, ele atuou por 27 anos nas forças da lei, onde foi investigador-chefe e gerente de um laboratório de criminalística em uma expressiva força-tarefa. John é Perito Certificado em Perícias por Computador (Certified Forensic Computer Examiner – CFCE) pela Associação Internacional de Especialistas em Investigações por Computador (International Association of Computer Investigative Specialists – IACIS).

Este webinar foi dividido em 5 seções:

  1. Tendências no uso de drones no crime
  2. O status atual das perícias digitais em drones
  3. Fontes de dados e tipos de artefatos acessíveis
  4. Incorporação de inteligência digital de drones em uma investigação
  5. O futuro das perícias digitais em drones – qual é próximo passo?

Visão geral do webinar

Atualmente, cada vez mais criminosos estão se tornando especialistas em tecnologia para otimizarem suas atividades criminosas. Neste webinar, Priest explora o uso ampliado de drones por criminosos, bem como pelos setores privado, comercial e pelo governo dos EUA.

Nos EUA e em todo o mundo, agora contamos com drones da mais alta qualidade, não apenas capazes de capturar imagens com câmeras profissionais instaladas, mas também de transmitir vídeos de alta definição superior a 4K a grandes distâncias. Essa capacidade torna a navegação e a vigilância por meio de drones mais precisa do que nunca, como já vimos em episódios recentes de contrabando de narcóticos em prisões. Os drones também estão sendo utilizados por terroristas em todo o mundo para transportar cargas úteis de vários pesos e até para lançar dispositivos explosivos.

John também explora algumas das ameaças iminentes e crescentes de criminosos do mundo inteiro, que temos de enfrentar hoje em dia, em que se faz presente o uso de drones :

  • Perseguição
  • Rastreamento
  • Entregas de drogas e armas em prisões
  • Uso de drones para transportar armas
  • Ameaças a voos comerciais
  • Contravigilância
  • Contrabando ao longo de fronteiras

Dados de drones

Outro tema a ser abordado no webinar serão as múltiplas fontes de dados que os examinadores podem extrair de drones. Essas fontes de dados podem incluir um controlador ou aplicativo de controle de drones em um dispositivo móvel, arquivos de registro e outras formas de mídia, como imagens e vídeos capturados durante o voo do drone

Nosso apresentador vai abordar três tipos principais de artefatos armazenadores de dados que podem ser encontrados em uma extração:

  1. Identificadores: Modelo e número de série de dispositivos, números de série das baterias conectadas
  2. Mídia: Fotos e vídeos, metadados – localizações, registros de data e hora, identificadores de câmeras
  3. Telemetria: Localização, pontos intermediários, rotas, localização de residências, altura e velocidade

Você também terá respostas às dúvidas mais críticas que os investigadores têm em relação ao uso de drones no crime, tais como:

  • Quando um criminoso é preso, como sabemos se ele usou ou não um drone?
  • O que fazemos se soubermos que um drone foi apreendido?
  • Como podemos identificar o operador do drone?

Vamos discutir como identificar rapidamente software de drones em um dispositivo móvel e o que se espera tipicamente nesses casos. Como existem vários aplicativos para Android e iOS disponíveis para a família de drones DJI, é imprescindível para as forças da lei terem acesso a possíveis provas digitais desses aplicativos.

Soluções da Cellebrite para drones

John também irá demonstrar como o UFED Physical Analyzer pode permitir a geração de imagens e a análise de dados de modelos populares de drones. Ele vai mostrar duas maneiras diferentes de se extrair dados de um drone. Primeiro, o método invasivo, que envolve a desmontagem do drone, mas garante o acesso ao adaptador do dispositivo, ao leitor de cartões e ao cartão SD. O segundo método, não invasivo, implementa a metodologia forense mais adequada, que utiliza um bloqueador de gravação para espelhar o cartão SD.

Aprenda a isolar locais gravados no drone, bem como a decodificar o percurso do voo com descrições visuais da trajetória do drone. Essas técnicas são projetadas para que os examinadores elaborem o perfil do proprietário do drone e descubram o local onde o suspeito pode residir.

Atualmente, os produtos da Cellebrite funcionam com quatro modelos dos drones DJI mais populares e podem extrair dados dos cartões SD interno e externo. Essa extração pode fornecer ao investigador dados de aplicativos, multimídia, localização de trajetórias, registros telemétricos e outros.

O Cellebrite Physical Analyzer executa extrações e exames forenses adequados quando o examinador remove o cartão SD. Os dados extraídos, tanto com o método invasivo quanto com o não invasivo, utilizando o Physical Analyzer, representam o mais abrangente conjunto de dados, incluindo dados excluídos./apagados

Assista ao webinar, Investigação de drones no combate ao crimepara antecipar-se às atividades criminosas com drones.

Share this post